Homenagem

 novembro de 2022

arnaldo marcolino 2.jpg

"A primeira guerra foi lá em 1780, na Bahia, numa fazenda que não me lembro o nome.  ...  era pura escravidão  ...   Nenhum de nós conta essa história, conta só a partir dos italianos pobres chegarem, dos espanhóis pobres chegarem ”

Arnaldo Marcolino da Silva Júnior - Vídeo apresentado pela organização do 2º Simbrastt na abertura dos debates do dia 20, como homenagem ao sindicalista e um dos mais importantes líderes do movimento negro e sanitarista do Brasil. Arnaldo Marcolino deveria palestrar neste evento, mas faleceu poucos dias antes, aos 72 anos. 

Viva Arnaldo!

   Esse olhar de soslaio, ligeiramente sorridente era mesmo do Arnaldo. Conheci esta figura imponente no início dos anos 90, quando lutávamos para fazer valer a saúde do trabalhador no recém-criado SUS. Com o seu vozeirão talvez assustasse os gestores dentro de seus ternos e gravatas na Secretaria de Estado da Saúde, ainda mais liderando um movimento, cobrando condições de trabalho para o nosso Programa de Saúde dos Trabalhadores da Zona Norte e depois CEREST/SP. Fui com Arnaldo em emissoras de TV para analisar as condições de trabalho, participamos de reuniões, conspiramos muito nestes anos.
   Eu poderia falar de muitos momentos, mas vou citar um: em 2014, ao sair da Faculdade de Saúde Pública da USP, final de tarde lindo, aquele sol se pondo e as ruas meio vazias, encontrei Arnaldo. Fomos conversando e andando pela Avenida Paulista até chegarmos perto de minha casa, que é perto do Sindicato dos Radialistas. Estava com problema de visão, e eu o ajudei a chegar bem ao Sindicato. Fiquei um pouco entristecida na ocasião pois o vi um pouco mais frágil. Mas para minha alegria, depois o reencontrei várias vezes, com muita energia.
   Ontem à noite ele me enviou uma mensagem e perguntou se poderia ligar. Eu disse que sim, como sempre. Conversamos mais ou menos uma hora, trocamos ideias, frustrações, receios e muita esperança. Combinamos de nos encontrar no SIMBRASTT no final desta semana.

 

   Arnaldo era inquieto e provocava aquela inquietude positiva, gostosa, viva.
 

   Viva Arnaldo! Você será sempre lembrado com muito carinho!
 

Maria Maeno

São Paulo, 15 de novembro de 2022